ND AMA

AGROECOLÓGICO NEM SEMPRE É ORGÂNICO!19/02/18

Euler Andrés te explica!

 Depois da diferença entre hidropônico e orgânico (aqui), importante abordar outros termos que, muitas vezes, confundem a cabeça das pessoas. Agroecológico é orgânico? Biodinâmico é orgânico? E permacultura?

Indo direto ao ponto, todos eles podem ser orgânicos, desde que sejam certificados. Estes selos garantem que você não está levando gato por lebre.

Que tal um café da manhã só com alimentos orgânicos?

Primeiro, vamos relembrar como chegamos até aqui. Até o início do século XX, existia só uma agricultura. A tradicional, que levava em conta as condições do solo. A agricultura química surgiu no final do século XIX, com produção de poucos itens em grande escala, usando insumos externos e energia fóssil. O resultado foi um grande desequilíbrio no ambiente, com surgimento de novas pragas, exigindo novos pesticidas e agrotóxicos, que provocam novos desequilíbrios, exigindo outros químicos, e por aí vai.

Lançado em 1962, o livro "A primavera silenciosa", da cientista e ecologista americana Rachel Carson, apresenta um questionamento ao modelo agrícola convencional e sua crescente dependência do petróleo como matriz energética. O livro foi um marco no movimento das agriculturas alternativas, como eram chamadas na época qualquer tipo de agricultura sustentável. As principais são:

Agroecologia

Ciência que estuda as relações solo-planta-animais-ambiente à luz de um conhecimento científico, mas respeitando o conhecimento e as práticas tradicionais. O Brasil possui uma das maiores cientistas de Agroecologia em região tropical de todo o mundo, a dra. Ana Maria Primavesi.

Agrofloresta

Também chamado de sistema agroflorestal (SAF) ou agricultura sintrópica, é um sistema que usa a lógica da natureza na sucessão vegetal: plantas pioneiras crescem rápido sombreando e protegendo as secundárias, que com o passar do tempo vão crescer e ultrapassá-las em busca da luz solar. Confuso? Pense em uma mesma área onde se colhe hortaliças no 1º ano, frutas cítricas a partir do 3º e no 30º a produção principal pode ser madeira, castanha do pará, cacau, açaí.... É um sistema em que o homem intervém para formar e enriquecer uma floresta nativa intercalada com plantas de interesses econômicos.

Agricultura natural

Idealizado na década de 1930 pelo japonês Mokiti Okada como alternativa para os problemas decorrentes da prática da agricultura convencional. O método privilegia a força do solo, cuja qualidade é fator primordial para boas colheitas. Segundo esse princípio, a fertilização do solo consiste no fortalecimento de sua energia natural. Para fertilizar o solo, é usado bokashi, produto fermentado de farelos, além de microorganismos eficientes (EM).

Biodinâmico

Criado pelo filósofo Rudolf Steiner em 1924, tem uma certificação própria, internacionalmente reconhecida como Demeter. Devem cumprir todas as exigências e normas do produto orgânico. Ou seja, todo biodinâmico é orgânico. O biodinâmico enxerga a propriedade como um organismo. As atividades internas são interdependentes, como um órgão depende de outro. Você precisa ter animais domésticos, de produção e selvagens para equilibrar o sistema. É usado um calendário astronômico para os plantios. Os "preparados biodinâmicos" funcionam como condutores de informação para as plantas, aos moldes da homeopatia. Insumos externos quase não são usados, chegando-se o mais próximo possível da auto-suficiência. Este é o método que usamos aqui no Dahorta.

Permacultura

Criada na Austrália, na década de 1970, por Bill Mollison, é um sistema de planejamento de ambientes humanos complexos e sustentáveis em todos seus aspectos. A permacultura reúne práticas tradicionais com idéias inovadoras, unindo o conhecimento secular às descobertas da ciência moderna. Como é um movimento recente, pode unir conhecimentos do design de paisagem do Keyline, de construções sustentáveis das tribos aborígenes, uso de solo-cimento, uso do bambu nas construções, banheiro seco, bacia de evapo-transpiração, hortas em mandalas. Utiliza métodos da agricultura natural, da biodinâmica e do sistema agroflorestal.

Cultivo de Cavolo Nero orgânico em Entre Rios de Minas

                                               

E o orgânico?

O mais curioso é que todos estes podem ser orgânicos. Porque o orgânico é mais um sistema de garantia, prevista por legislação do que um sistema de produção padronizado. Qualquer sistema acima pode receber o selo orgânico, desde que cumpra as exigências. Tais normas, além de proibirem os agrotóxicos, os adubos químicos, as sementes transgênicas e manipulações genéticas de animais, exigem análise periódica da qualidade da água, ações de conservação dos recursos naturais e aspectos éticos nas relações sociais internas da propriedade e no trato com os animais. Também são exigidas anotações de controle e rastreabilidade, permitindo que o serviço de auditoria identifique falhas e fraudes. Portanto, quem garante e fiscaliza é uma certificadora, que por sua vez sofre fiscalização do Ministério da Agricultura. Todo produto orgânico é necessariamente um produto certificado.

Hoje é possível conseguir certificações orgânicas sem custo nenhum. Ou seja, o argumento de que o selo não é pra todos, não é mais verdade. Mesmo assim, costumo ouvir muito a frase: “O agroecológico que eu compro não tem certificado, mas eu confio no produtor”. Se você conhece o produtor e confia na idoneidade e, principalmente, no conhecimento dele do que é um manejo eco-agrícola, é uma questão de fé de cada um. Tem gente que acredita, outros não. Mas, se você pode ter a garantia da certificação, aí não tem como duvidar. 

 

 

Serviço:

Onde: Fazenda Luiziânia, Entre Rios de Minas, 35490-000

Instagram: @dahortaorganicos

Sitewww.dahorta.org/site/

Contato(31) 99987-4787

 

#orgânicos

EULER ANDRÉS (COLABORAÇÃO ESPECIAL)- Agricultor orgânico, produtor de queijo, veterinário, pai, filho, avô e sonhador

 

 




COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK