COLUNA DA NATÁLIA

QUEM TEM MEDO DE SUSAN O. CAMPO?22/05/18

TEMIDA POR ARTISTAS E GALERISTAS, CURADORA INVADE A CENA MINEIRA

Susan O. Campo chamou a minha atenção na última temporada da SP-Arte, em São Paulo. Cheia de atitude, a “über” curadora não respeita a linha amarela que separa obras de artes e nós mortais e interagiu com as mais caras e visadas (obras) do salão paulistano. Afinal, ela não teme ninguém, aliás, são os outros que têm medo dela.

Susan "experienciando" a SP-Arte

Conhecida por seus óculos escuros (mesmo que esteja em ambientes fechados), colares enormes e de pegada étnica, anéis poderosos e um guarda-roupas que não permite cores além do preto, essa chilena que vive em Londres virou uma personagem esperada no circuito artístico também de BH, onde circula com desenvoltura dos painéis da descolada rua Sapucaí ao Inhotim, passando pelas galerias mais elegantes.

Susan, para quem não sabe, é o alter-ego do artista Domingos Mazzilli, que tem no trabalho de foto-performance um dos seus pontos altos. Ele conversou comigo num fim de tarde e contou que criou a personagem para uma exposição do BDMG, em 2013, e desde então faz (raras) aparições públicas caracterizado desta forma. “Tínhamos feito 33 mulheres para a exposição e, quando fui montá-la, a Susan já foi a curadora”, explica ele, reiterando que ela é franca, mordaz e nunca, jamais sorri. 

Susan e ela própria, na PQNA Galeria do Pálacio das Artes 

Na exposição, todas as personagens tinham uma bio, mas ela tinha um Curriculum Vitae, o que é uma crítica ao mercado, complementa o artista, que viu em Susan a oportunidade ter alguém falando muito bem de sua obra e ainda fazer uma crítica ao sistema em que se insere.

Segundo Mazzilli, ela é uma mistura das editoras Anna Wintour, Regina Guerreiro e Costanza Pascolato com Íris Apfel e algumas curadoras internacionais que admira.Ela tem um cabelo expressivo, nada certinho. Para dar uma estetizada, tirei o tênis (que normalmente as curadoras usam em grandes feiras) e pus um saltinho, também tirei o relógio poderoso e pus os óculos escuros, outro elemento da moda”, conta.

Para ganhar validade e tornar-se uma realidade, Susan se cercou de grandes nomes e deixou-se fotografar ao lado eles. Por aqui, tem fotos com o Secretário de Cultura Angelo Oswaldo e com artistas jovens que admira, como Efe Godoy e Rodrigo Mogiz.

Outra característica forte de sua personalidade é a língua afiada e, claro, as frases memoráveis que têm inspiração em Chanel e no escritor inglês Oscar Wilde, além de frases de filmes que adora adaptar. “Eu não sou grande. A crítica é que ficou pequena”, por exemplo, é paráfrase de uma frase célebre do clássico  “Crepúsculo dos Deuses”.

Embora não seja figura tão fácil por aqui - afinal ela vive na Europa -, Susan falou comigo ao telefone e prometeu que deve aparecer para o Minas Trend de inverno, que será em outubro. A moda é sua segunda paixão. 

Siga Susan, ou melhor, Mazzilli no Instagram! O perfil é @domingos_mazzilli. 

NATALIA DORNELLAS 



GALERIA


COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK