COLUNA DA NATÁLIA

UM PAPO C/ A MUSA DA AYURVEDA04/12/19

''...entender o que te faz mal, o que te faz bem e fazer escolhas mais adequadas..

Escritora, professora, nutricionista, terapeuta ayurveda e pós-graduanda em neuropsiquiatria, Laura Pires é hoje uma das grandes incentivadoras do movimento da Ayurveda no Brasil. 

Às vésperas de desembarcar em BH para o workshop "Alimentação segundo os princípios da Ayurveda e Nutrição Moderna", no Imam, a gaúcha conversou comigo. 

A seguir alguns trechos da nossa entrevista. 

 

ND - Percebo que com uma maior preocupação com a alimentação e a saúde, as pessoas têm falado muito de Ayurveda sem saber o que de fato significa. O que diria para quem tem interesse nesse conhecimento?

LP - A Ayruveda é um sistema filosófico, um sistema médico, que fala de nutrição, mas não é só alimentação. A alimentação é só uma das ferramentas nos processo preventivo e curativo ou para manejar as doenças que a pessoa tenha desenvolvido.

A maior parte das doenças que as pessoas têm hoje tem a ver com excesso. Hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares... estão ligadas principalmente à alimentação inadequada, horários inadequados pra comer, pra dormir e escolhas de alimentos muitas vezes ultraprocessados, várias vezes ao longo do dia.

 

No workshop fala-se de Nutrição Moderna. Poderia explicar em linhas gerais do que se trata?

Nutrição moderna é a nutrição ensinada dentro das universidades, dentro do meio científico contemporâneo e, no curso, vou fazer um paralelo e mostrar alguns conceitos e algumas orientações de ciência moderna e outras de Ayurveda.

Vou mostrar algumas situações onde eles se complementam, falam quase a mesma coisa só que com linguagens diferentes, então vou trazer esse tipo de conceito porque a Ayurveda não existe sem nutrição. A alimentação é um dos pilares da preservação e manutenção da saúde.

Antes, o profissional de nutrição era visto como um prescritor de dieta ou que fazia prescrição de dieta em hospitais, hoje não. As pessoas já sabem que um nutricionista é muito mais que isso. A nutrição pode ajudar no manejo de várias doenças e até reestabelecer o sistema de doenças que para a ciência moderna, em termos medicamentosos, não tem o que fazer, existe a possibilidade com uma alimentação adequada de reverter os casos, muitas vezes. 

A Ayurveda vai além da alimentação, certo? O que você sugere para uma vida saudável em tempos de hiperconexão, smartphones e etc?

Práticas de autocuidado de auto-observação e de meditação são muito importantes, práticas de silêncio para a gente poder se observar e ver efetivamente o que está acontecendo e o que a gente precisa.

O excesso de estímulo e de informação geram ansiedade, desequilíbrio. Não é à toa que somos o país mais ansioso do mundo, segundo as últimas pesquisas modernas.

E essa constante busca por informação, por estar ligado nas redes sociais o tempo todo, por respostas automáticas... você quer que a vida tenha respostas automáticas. Se está com dúvida de alguma coisa, vai no Google e vê a resposta imediatamente. Antes você tinha que ler um livro, perguntar para o vizinho, para o professor e agora é tudo de forma imediata. Mas a vida não é imediata, as coisas têm um tempo para se desenvolverem, para crescerem, para se transformarem. 

Entrar em contato com a natureza é superimportante para manter o ciclo.

Foi em busca de uma cura para uma doença que você encontrou o seu caminho e a partir dele transformou a vida se tornando uma divulgadora da Ayurveda. O que diria para quem já buscou todos os caminhos conhecidos pela alopatia, mas teme o desconhecido?

A Ayurveda veio para a minha vida não como uma profissão, eu não busquei porque está na moda.  Busquei porque é um sistema que tem a ver com o que eu acredito.

Busquei a Ayurveda porque fiquei doente e porque vi uma possibilidade de auxilio dentro desse processo. Eu estou curada, faço tratamento anualmente e é para a vida toda.

A Ayurveda não é a solução para todos os problemas e todas as doenças da humanidade, ela tem suas limitações, pode ajudar em alguns processos que a medicina moderna talvez não possa. Em certos momentos, a gente pode usar só a  Ayurveda, noutros, a gente pode usar a Ayurveda conjugada com a ciência moderna. Noutros momentos, a gente não vai ter tratamento dentro da medicina Ayurveda, vai ter que usar a homeopatia, a alopatia ou outro sistema de medicina.

É importante dizer que a Ayurveda não é uma medicina alternativa, é um sistema médico para poder ajudar dentro de um processo e é por isso que é importante você ter orientação e o respaldo de profissionais experientes. Não existe milagre. É preciso ter um bom médico que vai entender de todo o processo, dos medicamentos adequados. E mais: o paciente tem que estar disposto a cuidar de si mesmo e a transformar sua vida.

De onde parte o tratamento?

O primeiro passo para um tratamento ayurvédico é o que a gente chama de tirar a causa, então não adianta você ir para a Índia achando que isso vai resolver o seu problema.  Você vai e pode ter problema se voltar e quiser continuar mantendo seus hábitos, seu estilo de vida de antes.  

A alimentação e a rotina são muito importantes. É precisa estar disposto a cortar da vida o que causa o seu problema. Às vezes é o tipo de trabalho que você tem, talvez as relações, talvez seja o clima a que está exposto, talvez seja a questão alimentar e, para ter efeito, você tem que fazer essa transformação.

Se você tem uma gastrite, por exemplo, e percebe que, toda vez que bebe vinho, o estômago incomoda. E você está acostumado a tomar um inibidor de bomba de prótons - da família do Pantoprazol -, que é a prescrição da ciência moderna, e aí quer um medicamento da Ayurveda para que possa beber e não ter dor de estômago, isso é algo totalmente inadequado. A primeira coisa que tem que fazer é nunca mais beber vinho, se você já sabe que ele te causa problema. E se quiser beber, tem que arcar com as consequências de estar colocando sua saúde em risco.

Entender o que te faz mal, o que te faz bem e fazer escolhas mais adequadas é o caminho. 

 

Serviço:

Imam: Avenida do Contorno, 4498, Funcionários, BH

Contato: 3297-7960

Instagram: @incisaimam

NATALIA DORNELLAS 

FOTOS: LAURA PIRES/DIVULGAÇÃO 

 

 



COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK