ND AMA

TATI GUIMARÃES FALA SOBRE URBAN JUNGLES28/02/18

Designer de formação, nossa entrevistada fala sobre carreira e florestas urbanas

Quem vê Tatiana Guimarães Maia carregando vasos enormes para dentro de uma caminhonete idem imagina que ela nunca pertenceu a outro lugar que não uma fazenda. Mas não é bem assim. Nome por trás da loja-conceito  Fazenda Terra Bella - cujos focos são flora e paisagismo -, a designer de 28 anos já testou seus talentos e pôs sua energia em várias outras áreas até se embrenhar neste negócio e parecer nascida para ele. Formada em design de moda e de produtos, Tati divide um pouco de sua busca com a gente e fala do fenômeno verde que chegou às nossas casas. Leia a seguir! 

ND - Do design de produtos a uma loja-conceito de fazenda. Vamos falar um pouco desta trajetória

TG - Quando entrei na faculdade, estava certa de que queria fazer design de interiores e montar uma loja de móveis e decoração. Com o tempo fui amadurecendo a ideia e percebi que, além de não querer ser decoradora, minha vontade mesmo era de criar! Me arrisquei então no design de produtos, e mesmo me apaixonando pelo curso, desanimei ao perceber que o mercado era mais desafiador que pensava e que pra criar móveis, eu precisaria de muito mais que uma dose de empolgação. Na altura do campeonato eu já tinha ‘’perdido’’ um bom tempo na faculdade e, sem pensar muito, acabei mudando para o design de moda.  

Confesso que não me entusiasmei tanto pelo mundo fashion, apesar de ter sido blogueira por 15 minutos, depois criado um Instagram (Boho Factory) que virou marca com direito a lançamento de coleção e tudo. Pouco antes de formar, eu me casei e fui morar oito meses na Austrália. Prestes a voltar pro Brasil, eu não tinha idéia do que fazer da vida… Foi aí que meu pai sugeriu que eu cuidasse do comercial da Terra Bella. Mesmo conhecendo pouquíssimo desse mundo das plantas, eu aceitei na hora!

 Em meio às obras da sede e do escritório da Terra Bella, eu passei praticamente um ano indo pra fazenda só pra interagir com as plantas, multiplicar espécies raras e aprender o máximo que pudesse com o Amauri, sócio do meu pai, e quem toca a fazenda e sabe TUDO desse universo botânico! Já com a empresa mais estruturada, eu assumi o comercial, e em pouco mais de seis meses surgiu a oportunidade de abrir a loja, no Vale do Sereno. 

ND - É impressão nossa ou todo mundo resolveu transformar a casa numa selva urbana?

TG - Não sei se é porque estou completamente mergulhada nesse mundo das plantas, mas de fato tenho percebido um interesse maior das pessoas em colocar plantas dentro de casa. Me arrisco a dizer que com essa onda sustentável e de hábitos saudáveis muitos estão procurando entender os benefícios que o convívio em um ambiente mais verde pode oferecer. 

ND - Qual a sua dica para quem quer aderir à "onda verde" e ter sua florestinha em casa? 

TG - Uma dica valiosa é sempre procurar saber qual o ambiente certo para cada planta! Isso evita muita frustração, uma vez que os ‘’pais’’ de primeira viagem desistem de colocar plantas naturais em casa depois que a primeira ‘’filha’' morre!

Um pedacinho da estufa da fazenda na loja do Vale do Sereno

ND - Postamos uma kokedama - não por acaso da Fazenda Terra Bella - na última semana e foi um sucesso de compartilhamentos e comentários. O que mais você aposta como tendências desse mercado?

TG - Voltando mais uma vez na onda do estilo de vida mais sustentável e saudável, minha aposta é no cultivo de hortaliças em casa! Percebo que mesmo quem mora em apartamento e não tem muito espaço faz questão de montar uma jardineira com alguns temperos para colher sempre que precisar. 

ND - A loja é apenas uma pontinha do projeto da fazenda, certo? Pois conte um pouco do que pode ser visto por lá.

TG - O carro-chefe da Terra Bella é a produção de plantas ornamentais e prestação de serviços de paisagismo e jardinagem. Já com a abertura da loja, surgiu uma demanda bem legal de montagem de arranjos florais e arranjos ornamentais plantados na terra, além de consultoria em jardins e áreas verdes. Mas além disso a empresa tem planos de criar uma linha de produtos orgânicos que vai desde hortaliças e frutas, queijos até a carne de animais como cordeiro, pato e peixe.

Vamos para a fazenda?

 

NATALIA DORNELLAS 

FOTOS ANDREA MONTEIRO E DIVULGAÇÃO



COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS (1)


Isabela - 27/02/18


Sensacional!! Adoro plantas ?? Quero muito ir visitar a loja





MENSAGEM




FACEBOOK