GENTE

QUATRO JOVENS ARTISTAS PRA FICAR DE OLHO23/02/18

A galerista Flávia Albuquerque é quem indica nomes para anotar na agenda

De olho na cena artsy da cidade, que segue efervescente com os agitos do 10Contemporêneo, entre outras ações, resolvemos fazer uma pesquisa de novos artistas. Nossa varredura começa com a galerista Flávia Albuquerque, leia-se Celma Albuquerque, que aponta quatro nomes importantes. Tome nota! 

1) Daniel Bilac

                   

É graduado em Artes Visuais com habilitação em Pintura pela Escola de Belas Artes da UFMG.  Sua produção articula técnicas e materiais do desenho e da pintura. Cada obra é construída por camadas de papel que ora revelam, ora escondem grafismos, incisões, pinceladas e áreas de cor. Realizou as seguintes exposições individuais: Monumento vidraça monumento ruína, Memorial Minas Gerais Vale, Belo Horizonte, novembro de 2014 a janeiro de 2015; Manual da espera, Galeria Nello Nuno (FAOP), maio de 2013 e Sala Ivan Marquetti da Galeria de Arte do Grêmio Literário Tristão de Ataíde - Ouro Preto, junho de 2013; Quando eu disser seu nome, Celma Albuquerque Galeria de arte, Belo Horizonte, outubro a novembro de 2011; Tudo o que tem dente morde, Galeria de arte da CEMIG, Belo Horizonte, novembro de 2010. 

2) Efe Godoy

                                                      

É o menino dos olhos do ND.  e ganhou uma galeria toda dele no nosso escritório na CASACOR 2017 (relembre). Multiplo, Efe transita entre o desenho, a música e a performance.  Em suas obras vemos frequentemente animais – com destaque para os cavalos – plantas em forte simbiose com o humano, além de toda intensa ligação com os aspectos ordinários da vida cotidiana, assim como da memória e do passar do tempo.  Outro destaque é o projeto musical “Absinto Muito”.

 

3) Jade Marra

                                                

Com apenas 25, Jade é menina-prodígio do mundo das artes plásticas. Com apenas dois anos no metier, já é uma das grandes apostas do mercado made in Minas.  Tudo começou na arquitetura, mas Marra se viu fisgada pela Arte. “Durante  o curso, meu interesse por Belas Artes foi crescendo e resolvi fazer em paralelo”, explica. A vida dupla durou pouco, sua veia artística falou mais alto. Seu trabalho investiga a posição da mulher na sociedade contemporânea, e a possibilidade de subverter o entendimento socialmente construído a respeito do corpo feminino.

4) Manuel Carvalho

                                             

Concluiu seu bacharelado em artes plásticas pela Escola Guignard (UEMG). Participou de residências no Jaca (Jardim Canadá), 2015, em parceria com Warley Desali; Agora (Bela Scrva, Servia), em 2014; e no EXA (Belo Horizonte), em 2013. Em parceria com Gustavo Maia foi selecionado para 1º Prêmio Itamaraty de arte contemporânea em 2011. Participou de exposições individuais como Empate (Mama/Cadela galeria), 2014, Belo Horizonte; Da pintura (BDMG cultural) 2014, Belo Horizonte; Sob o suor de verão (Orlando Lemos Galeria), 2014, Jardim Canadá; e Um pouco de pele (AhortA galeria) 2013, Belo Horizonte, para citar algumas. Dentre as diversas exposições coletivas merecem destaque: Antimônio, (Mama/Cadela Galeria), 2014, Belo Horizonte; 50 gramas de copo, em parceria com Warley Desali (Aliança Francesa), 2014, Belo Horizonte; MAPA: (manutenção em procedimentos e apropriações), 2013, Belo Horizonte; e também de feiras nacionais e internacionais, como ArtRio (stand da Galeria Celma Albuquerque), 2015, Rio de Janeiro; ARTBA (Orlando Lemos Galeria), 2010, Buenos Aires; Scope (Galeria Leo Bahia), 2003, Nova York. Ufa!

 

#olhoneles

 

JR MENDES (DA REDAÇÃO)

FOTOS DIVULGAÇÃO 




COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK