ND AMA

BAMBOO IS THE NEW BLACK! #DECORACAO30/04/18

Stylist que se embrenhou na table couture, Ticha estreia dicas no ND

Fui convidada pela grife Desirée para contar em uma mesa um pouco da sua coleção. Analisando as estampas ... Bingo! Encontrei um forte Zeitgeist: O bambu! Tenho visto bambu por toda parte. Então, vamos entender um pouco porque ainda que inconscientemente as pessoas estejam criando e desejando objetos feitos de bambu ou que remetam ao bambu.

Olha ele na campanha da Gucci


 

Por trás do bambu existe uma  enorme simbologia que vai de encontro à atmosfera e desejos que vivemos nos tempos atuais e que chega como um “refreshment”. Quando falamos em memórias, falamos das raízes plantadas durante toda a vida. O bambu é uma planta de raízes profundas, que crescem durante anos para só depois de enraizada despontar. Num mundo fulgaz,de tantos descartes e constantes mudanças, ter raízes é manter o equilíbrio.


Em tempos invernais e adversos, ele (o bambu) suporta o peso da neve, podendo envergar até o chão sem se quebrar. Passado o inverno, tem a flexibilidade necessária para retornar a forma e continuar crescendo sempre para cima, ainda com mais força e direção. Diante da fragilidade, medo de rejeição e frustração que vivemos nos tempos dos likes, flexibilidade, força e direção são remédios para a alma.

Outra característica interessante é que os bambus nunca crescem sozinhos, estão sempre em uma comunidade de bambus: o bambuzal. Ali, todos crescem juntos, para o alto, vivendo em total harmonia e respeito aos seus vizinhos. Os bambus são plantas sem galhos, para não incomodar e respeitar o espaço do próximo. Desenvolvem-se unidos e com a mesma vitalidade, sem que um faça sombra ou se sobreponha ao outro do seu lado.

Vivemos tempos conturbados, que tem nos levado a rever valores e desejar ardentemente por mudanças de comportamentos e atitudes. Começa a surgir em todo o mundo uma maior consciência do coletivo, os movimentos colaborativos, os “coworks" e parcerias, onde juntos os talentos individuais se somam e são mais fortes. Onde o desenvolvimento só faz sentido se for coletivo e respeitoso.

As pessoas começam a cobrar das marcas que consomem uma postura mais engajada, respeitando a cadeia produtiva, o meio ambiente e uma moral coerente com os novos tempos. Mais respeito e igualdade por uma sociedade mais justa.O bambu também inspira atitudes assim, positivas.

Um outro anseio nos leva a repensar nossas condutas, levando em conta as nossas memórias de tempos passados (tão longe... e tão perto), de quando a vida era mais tranquila ... é a aceleração da vida moderna. A força e o alcance do Slow Moviment é a prova disso.

Neste projeto, o bambum reina absoluto. Certo?

 

Em tempos onde somos bombardeados por tantos estímulos e informações, é preciso encontrar a serenidade para conectar-se com o essencial, para ter paz e tranquilidade. Desacelerar e pausar no tempo. Assim como os bambus que são ocos. Esvaziar-se!

Vivemos em um mundo altamente conectado, pessoas de todos os continentes se comunicam pelas redes sociais, mas a interação, o contato físico e a convivência, necessidades intrínsecas aos seres humanos, vêm se perdendo. O governo Inglês, recentemente criou um novo Ministério: da Solidão. Para resgatar o contato, a convivência e as delicadezas tem sido uma necessidade de sobrevivência, oxigênio!

Basta ver como tem disseminado nas redes sociais postagens de arranjos florais e mesas postas, sinalizando uma valorização à convivência mais próxima, verdadeira e compartilhada. Realmente iniciar a coleção com uma estampa de bambo é uma aposta positiva e certeira!

O bambu é também usado no Feng Shui para harmonizar ambientes. Então vamos em frente: Investir em peças com o bambu é uma grande sacada!

+ fotos na galeria abaixo


Ticha Ribeiro / Inventando Mesa (collab especial)

Fotos Pinterest e Reprodução 

 

 



GALERIA


COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK