BELEZA

UM 'FILTRO' PRA CHAMAR DE SEU! #SUMMER28/11/17

Afinal, quais são as diferenças entre o protetor físico e químico?

Ele é o nosso companheiro de todos os dias e um dos segredos de uma pele linda e saudável. O filtro solar deve ser usado faça chuva ou faça sol e independente de estar numa praia ou dentro de um escritório, pois mesmo a luz visível presente em ambientes fechados e o infravermelho trazem riscos para a pele, então é preciso se proteger contra os danos causados pelas radiações. Só que existem muitas dúvidas sobre os diferentes tipos de protetores e é bom entendê-los antes da chegada do verão para você escolher aquele para chamar de seu!

Para usar e abusar!

 

O filtro pode ter fórmula química ou física (também conhecido como mineral). O primeiro é o mais comum de encontrar, possui até sete substâncias químicas para manter um fator de proteção solar alto, que reagem com a pele e absorvem os raios solares, impedindo que causem danos. Ele é fácil de espalhar, mas por penetrar a pele, pode reagir com ela e levar a reações alérgicas e fotoalérgicas. Existem evidências que indicam que alguns ingredientes químicos podem causar formação de radicais livres, vilões do envelhecimento da pele, por isso muitos dermatologistas recomendam a combinação de protetor solar químico com o físico, principalmente em casos de melasma. No entanto, para pessoas de pele morena ou oleosa, o químico é uma ótima saída.

Já o filtro solar físico tem partículas derivadas de metais, não é absorvido pela pele, forma uma barreira e reflete as radiações UVA e UVB, funcionando como um verdadeiro bloqueador. Por ter cor, ele promove uma barreira física e também oferece proteção contra a luz visível, aquela emitida por computadores, televisores e lâmpadas, responsável por causar manchas e envelhecimento. Além dessas vantagens, o filtro físico com cor ainda promove um acabamento de maquiagem. Sua composição é feita de óxido de zinco e/ou dióxido de titânio, que são ingredientes naturais com proteção natural de amplo espectro. Após aplicado, ele tem efeito imediato, enquanto os filtros solares químicos demoram cerca de 20 minutos para começar a agir. Normalmente, o filtro solar físico de amplo espectro é indicado para pessoas alérgicas, com doenças cutâneas, como câncer de pele prévio, lúpus e manchas de pele, crianças e grávidas. Atualmente, ele é o mais seguro e recomendável para todas as pessoas, pelo amplo espectro que possui e pelo seu acabamento com cor, que promove uniformidade do tom de pele e previne manchas.

Protetor químico ou físico?

Vale ressaltar que, para garantir proteção contra os raios UVA, responsáveis por causar o câncer de pele e envelhecimento, o filtro deve conter a sigla PPD (do inglês, Persistent Pigment Dark). O PPD deve ser de pelo menos um terço do FPS, que é responsável por proteger contra os raios UVB. Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), aprovada em junho de 2014, trouxe mudanças significativas para o consumidor, entre elas a obrigação de informar o fator de proteção contra a radiação UVA, visto que ela é silenciosa.

#saúdedapele 

TATHYA TARANTO (COLABORAÇÃO ESPECIAL)

FOTOS DIVULGAÇÃO 




COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK